Após, aproximadamente, quarenta semanas de gestação o bebê está pronto para nascer. O trabalho de parto acontece devido à diminuição da taxa de hormônios femininos no sangue.

Publicidade

As contrações que antecedem o nascimento são ininterruptas e muito dolorosas – elas se tornam cada vez mais frequentes até a expulsão do feto que é facilitado pelo alargamento da bacia.

Acontece, então, a ruptura das membranas que envolvem o bebê, a bolsa d’água ou âmnio, cuja função é a proteção do feto contra abalos. O âmnio é composto por, aproximadamente, dois litros de água. E os sinais de que o parto está próximo são o rompimento do âmnio juntamente com a aceleração das contrações.

Normalmente, a saída do bebê acontece pela cabeça que por possuir um diâmetro cefálico maior que os ombros facilita a saída do restante do corpo. No crânio do bebê existe uma região popularmente conhecida como moleira cuja denominação cientifica é fontanela. A fontanela é um espaço entre os ossos do crânio recobertos por membranas resistentes e flexíveis que permitem que a cabeça do feto se amolde à vagina facilitando a expulsão do feto no momento do parto.

Publicidade
Parto
Cordão Umbilical

O cordão umbilical fica ligado à placenta que apenas se desloca e é eliminada após algum tempo. A perda da placenta induz a hipófise a produzir um novo hormônio – a prolactina, que age sobre as glândulas mamárias determinando a produção de leite que possuem substancias nutritivas ideais para as necessidades do recém-nato.

O parto é dividido em dois tipos – o natural (vaginal) e a cesariana (cirúrgico).  O parto normal ou natural é realizado em posições diversas: de cócoras, sentada em uma cadeira de parto ou deitada. No entanto, por razões diversas, nem sempre o parto vaginal é possível de ser realizado e, então, recorre-se ao parto cirúrgico para garantir a segurança e a saúde do bebê e da mãe.

O parto cesáreo é um procedimento cirúrgico que consiste em uma incisão (corte) na parede abdominal e no útero – para a remoção do bebê. Em seguida é realizada uma sutura (fechamento com pontos). A cesariana é um procedimento bastante seguro, no entanto, por se tratar de um ato cirúrgico a recuperação da mãe é bem mais lenta.

 

 

 

 

 

Publicidade