A escarlatina é uma doença infectocontagiosa muito comum em crianças com idades entre 2 e 10 anos, mas pode aparecer em qualquer idade. É causada por bactérias, do grupo dos estreptococos, e são transmitidas por gotículas de saliva eliminadas através da fala, da respiração ou da tosse de pessoas doentes ou mesmo portadoras sãs, ou então, por contato com objetos contaminados.

A bactéria é extremamente contagiosa, e quando um indivíduo entra em contato, com a bactéria, já é capaz de disseminá-la após decorrido um período de apenas doze horas, ainda que não esteja apresentando qualquer sintoma da doença. A doença recebeu o nome de Escarlatina devido à cor das manchas que são vermelho como escarlate e se espalham ao longo da pele.

Publicidade

Principais sintomas

Os sintomas mais característicos da escarlatina são semelhantes ao de uma gripe forte: febre alta, dores de cabeça, vermelhidão na boca, na língua e na garganta. Posteriormente, surgem erupções cutâneas como pontinhos de coloração vermelho-violeta nas regiões do pescoço e do tronco. E, com a evolução da doença, essas erupções se alastram para o rosto, prega dos braços e pernas, virilha e laterais do tórax.

Outros sintomas também podem se manifestar, como dor abdominal, calafrios, palidez nos lábios e mal-estar.  Geralmente, os sintomas da escarlatina desaparecem com vinte e quatro horas após o início do tratamento e as manchas com cerca de uma semana.

Como se pega Escarlatina

A transmissão acontece pelo ar através da inalação de gotículas de secreção respiratória originadas da tosse ou espirro de uma pessoa infectada desde um dia antes do aparecimento das manchas até uma semana após.

Publicidade

Ambientes fechados como, por exemplo, creches, escolas, shoppings, cinemas, ônibus e igrejas favorecem a proliferação das bactérias. Entretanto, o contato de um indivíduo com a bactéria causadora da Escarlatina não significa que irá desenvolvê-la, pois isso depende, em muito, do sistema imunológico.

Prevenção

  • Lavar constantemente as mãos com água morna e sabão.
  • Não partilhar utensílios durante refeições com amigos ou colegas de escola.
  • Higienizar pratos, copos e talheres em água quente ou na máquina de lavar louça.
  • Ter cuidado ao espirrar ou tossir – fazendo isso dentro da manga ou cobrindo a boca e nariz.

Diagnóstico

O diagnóstico é realizado mediante os sinais e sintomas da doença. Será realizado um exame laboratorial – o Step A ou o exame de cultura a partir da saliva do paciente para confirmação.

Tratamento

É realizado por meio de antibioticoterapia através do uso de Penicilina, Azitromicina, Amoxicilina ou Eritromicina para pessoas alérgicas.  A duração do tratamento ocorre por um período de 7 a 10 dias. Vale ressaltar que não existe vacina contra a doença.

O médico deve ser consultado e o paciente deve ficar em repouso e isolado. De modo geral, e evolução da doença é benigna, no entanto, pode haver complicações da infecção e ocorrer disseminação para outras partes do corpo. Por isso é necessário muito cuidado. Na maioria dos casos a doença confere imunidade definitiva.

Publicidade