Cólicas Menstruais e TPM

O período menstrual, para muitas mulheres, é desagradável e muito doloroso devido a sintomas como dismenorreia (cólicas menstruais) e TPM (tensão pré-menstrual).

A Dismenorreia (cólicas), acontece devido a espasmos causados pela contração do útero que em algumas mulheres são muito intensos causando dores insuportáveis na região da pélvis e barriga – acredita-se que esses espasmos sejam estimulados pelo hormônio Prostaglandina que é produzido na metade do ciclo menstrual. Os contraceptivos orais são utilizados como terapêutica com o objetivo de diminuir a produção hormonal.

Publicidade

A TPM também causa muito sofrimento durante o período menstrual. Os principais sintomas são as alterações de humor com aumento de irritabilidade, ansiedade, tensão, excitação, depressão, tristeza e perda do apetite.

tpm

Tensão pré-menstrual – TPM

Mas não são apenas alterações de caráter psicológico – acontecem também alterações físicas como dores musculares, enxaquecas, sensibilidade na região mamária, retenção de líquidos etc.

Publicidade

As cólicas são comuns em mulheres antes de 18 anos de idade, geralmente, em adolescentes, nos quatro primeiros anos após a menarca e, ao passo que elas envelhecem, esse quadro desaparece. Entretanto, algumas mulheres, mesmo envelhecendo ainda apresentam dismenorreias intensas o que causa muito desconforto. Isso acontece devido alguns fatores:

  • Menarca – primeira menstruação antes de 12 anos de idade.
  • IMC- índice de massa corpórea menor que 20 ou maior que 30.
  • Ciclos menstruais irregulares – com grande perda de volume sanguíneo e/ou com vários dias de duração.

A cólica menstrual, durante anos, recebeu muito pouca importância por parte da medicina, e a dor era associada a fatores emocionais e psicológicos. Atualmente é considerada um mecanismo fisiopatológico em que a parede uterina, durante o ciclo menstrual, se torna mais espessa e vascularizada à espera da implantação de um possível embrião. Mas se não há fecundação ocorre a menstruação, com liberação do hormônio já mencionado – a prostaglandina, que causa contrações uterinas. Entretanto, essas contrações são tão intensas que, em algumas mulheres,T os vasos sanguíneos que irrigam o útero são comprimidos dando origem a uma isquemia temporária (angina do útero), daí as dores intensas.

Para o tratamento das cólicas menstruais são prescritos anti-inflamatórios (AINES) e anticoncepcionais orais, para controlar os níveis hormonais.

Existem também alguns tratamentos caseiros que são efetivos para aliviar as cólicas como, por exemplo, as bolsas-de-água-quente. Já os exercícios físicos regulares, a ingesta hídrica e uma dieta pobre em gorduras são indicados como preventivo das cólicas.

Com essas dicas é possível se obter uma melhor qualidade de vida e menos desconforto durante o período menstrual, mas em caso de cólicas intensas e frequentes consulte um ginecologista.

 

 

 

Publicidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.