O coito interrompido se caracteriza quando em uma relação sexual, o homem pressente que vai ejacular e, imediatamente, retira o pênis para fora da vagina. É um dos mais antigos métodos contraceptivos existentes no mundo.

Geralmente é utilizado quando não se faz uso de qualquer outro método contraceptivo e se deseja copular, sem no entanto gerar filhos. É um método falho e de baixíssima efetividade, pois na fase de excitação, as secreções do pênis (fluidos de uma pré-ejaculação), podem conter espermatozoides vivos que irão penetrar na uretra, apesar do controle da ejaculação.

Publicidade

Para utilizar esse método recomenda-se urinar entre as ejaculações para eliminar possíveis espermatozoides presentes no fluido pré-ejaculatório. É um método que provoca muito desgaste físico, podendo surgir também um desgaste psicológico tanto para o homem quanto para a mulher, pois a relação sexual se torna insatisfatória.

Publicidade

Atualmente, com o desenvolvimento e a ampliação de técnicas contraceptivas, e da acessibilidade a estes novos métodos, o coito interrompido se tornou um procedimento não indicado para a contracepção.

E, apesar de ser muito utilizado, esse método contraceptivo não previne contra as doenças transmissíveis e possui um alto índice de falhas.

Vantagens

  • Não é afetado por medicações – com riscos de efeitos colaterais.
  • Pode ser usado durante o período de amamentação.
  • É livre de hormônios.
  • É uma alternativa para quem que não pode utilizar outras formas de contracepção, apesar da pouca eficácia do método.
  • É totalmente gratuito.
  • Aumenta o entrosamento do casal, tendo em vista o consentimento mútuo para evitar a gravidez.

Desvantagens

  • Possui baixíssimo índice de confiabilidade.
  • Interrompe o sexo.
Publicidade