Cesariana é uma intervenção cirúrgica, realizada no abdome e no útero da mulher, que um obstetra realiza para retirar o bebê que não se encontra em posição ou em situação adequada para o nascimento. 
É uma procedimento cirúrgico e recomendado para a mulher que possui bacia estreita ou , se na hora do nascimento, faltar dilatação do colo do útero para que ocorra um parto normal. É também indicado quando a mãe apresenta problemas cardíacos – para evitar que a doença seja agravada pelos esforços do parto.

As cirurgias cesáreas são consideradas de grande porte, por isso, precisam de um ambiente hospitalar adequado para o uso de anestesia e necessitam de um período de recuperação mais longo. Não é um método natural e é mais dispendioso. A cesariana gera muitos mais riscos que o parto vaginal.

Publicidade

A mulher que passa por uma cirurgia de cesárea fica mais suscetível a sangramentos, dores no pós-parto, além de grandes riscos de infecções, por isso, só há indicação para casos específicos.

Publicidade

Indicações para cesariana

  • Quando o bebê se encontra em posição lateral ou sentado e, ou apresente alguma anormalidade já diagnosticada.
  • Quando houver dois ou mais bebês em uma mesma gestação.
  • Quando houver bloqueio da saída natural do bebê, devido à localização da placenta muito abaixo do útero (placenta prévia) – que impede o parto normal.
  • Quando ocorrer a piora de um estado de pré-eclâmpsia – o que aumenta os riscos a espera por um parto normal.
  • Quando o feto correr risco de vida devido ao descolamento prematuro de placenta (separação da placenta com a parede do útero antes da hora).
  • Quando a mãe estiver infectada por alguma doença infecciosa que possa ser transmitida ao bebê durante o parto vaginal.
  • Quando houver histórico de cirurgias uterinas anteriores ou mais de uma cesariana realizada.
  • Quando houver problemas de coluna cervical ou quadril que impeçam a posição ginecológica pela mulher.

São vários os motivos que levam um obstetra a se decidir por uma cesariana de última hora, pois sempre pode ocorrer uma situação crítica durante o parto. e a cesariana é o meio mais seguro e rápido para retirar o bebê a salvo. Dentre esses motivos, podemos citar:

  • Irregularidades na frequência cardíaca do bebe – o que implica em dificuldades para realização de um parto normal.
  • Descolamento de placenta.
  • Prolapso do cordão umbilical – indicação de vulnerabilidade de oxigenação devido a compressão do cordão que aparece antes do bebê.

Riscos da cesariana

Como toda e qualquer cirurgia a cesárea também apresenta riscos. Há possibilidade de infecção, no pós-parto, causada pela má cicatrização da incisão cirúrgica – com a formação de hérnias e também de queloides.

A cesariana é um procedimento rotineiro, considerado simples e, na maioria das vezes, transcorre sem intercorrências. Mas, devido a possíveis danos, a cesariana é um risco muitas vezes desnecessário.

Publicidade